Desprendi os cabelos ondulados, deixei que o vento me penteasse com o pente dourado das brisas da manhã. Suspirei e , no coração vesti um sorriso perfumado de sonhos. Caminhei serena pelas sendas da vida, sentia na alma uma carícia de paz e tranqüilidade. Sentei-me na berma do sentir…respirei os aromas das flores que espalhavam mil cores em meu olhar.

Na minha bagagem não levava somente a magia da solidão, havia vestidos de lembranças, sedas de porvir. Perdia=me no Vale dos Sonhos, namorava o silêncio e como uma bailarina, rodopiava em êxtases de encantamento. Demorava-me nos murmúrios do sentir. Entendi, num desses momentos de cogitação, que os sonhos podem murchar e que é preciso semear novos sonhos…Chorei.Uma lágrima perdida dentro de mim rolou pela minha face rósea.Tão escondida e transparente, senti um barulho apertado no peito. Precisava de alguém que me emprestasse o sentir. Precisava de flutuar no vento, ouvir as palavras das estrelas…Esperava pela noite, precisava entrar pelo portal da Lua…renovar o sentir.

Aproxima-se a noite, os pensamentos preparam-se para voar…soltam-se os murmúrios da alma num êxtase sideral. Deixo entrar a música do silêncio e os meus sentidos ascendem na brisa das estrelas.

Anúncios